Intro / Início / Ludovice Ensemble / Imprensa - Ludovice Ensemble

Interpretação lúcida e plena de atmosfera

Gravações

"[...] O Ludovice Ensemble, dirigido pelo jovem cravista português Fernando Miguel Jalôto, e constituído em grande parte das obras por cinco instrumentistas, toca de forma extremamente sensível. O traço fino e sempre elegante é a sua marca dominante. De destacar é a forma como violino e traverso soam juntos - por si uma questão delicada - acima de tudo, porque a flauta, tocada por Joana Amorim, sabe manter-se em equânime grandeza. Ouve-se um ensemble orientado pela audição mútua, perfeitamente transparente, que, da mesma forma, sabe, em alguns andamentos dos trios de Dornel, juntar-se em prol de uma sonoridade mais energética.


É sobre esta delicada base sonora que o barítono Hugo Oliveira, também português, canta de forma brilhante: ele possui uma impressionante leveza, a sua voz soa livre, com considerável potencial nos registos agudo e médio – e no entanto tem também facilidade no registo grave, não obstante seja de destacar o seu desempenho no âmbito mais agudo destas obras. As possibilidades da voz de Hugo Oliveira estão solidamente ancoradas no seu domínio técnico; acima de tudo, é exemplar o seu desempenho em mudanças de registo, o que lhe permite a flexibilidade necessária para a interpretação deste repertório. Para tal contribui também o seu sentido de propriedade, não exagerando no uso de ornamentos. Além disso, nos muitos andamentos lentos, Oliveira trabalha com um florescer do som que modula o aparecimento de cada nova nota. A imagem sonora, no contexto do seu enquadramento camerístico, é fundamentalmente directa, construída de forma muito clara e harmonicamente equilibrada. Todas as esferas estão activamente presentes, o que garante uma representação plástica, principalmente nos elementos que são subtilmente diferenciados, do ponto de vista afectivo. [...] Hugo Oliveira traz com a torrente balsâmica da sua voz argumentos de peso para que ouçamos esta música – este CD é uma fina e boa aposta."

Dr. Matthias Lange in Magazin Klassik.com - 17/03/2012

 

"O disco que tenho entre mãos contém uma selecção de cantatas francesas tão belas quanto desconhecidas. A Interpretação está a cargo do Ludovice Ensemble, grupo português que oferece grandes provas de qualidade e saber musical. Nas cantatas acompanham Hugo Oliveira, de quem se espera um futuro muito prometedor. De voz cálida e belamente timbrada, este basse-taille revela-se um verdadeiro conhecedor das muito peculiares exigências de este repertório, simultaneamente contido, expressivo e refinado, com uma estupenda dicção da língua francesa antiga - empreendendo uma reconstrução da pronúncia aristocrática do francês da época. As esplêndidas notas e a elegância da embalagem completam uma produção de luxo".

Javier Sarría Pueyo in Diverdi - 14/02/2012

Um desempenho notável, pelo equilíbrio e sensibilidade

Gravações

"Vítimas do esquecimento, estas numerosas obras são em grande parte desconhecidas, e não podemos deixar de felicitar a iniciativa de Ludovice Ensemble e de Hugo Oliveira, que alcançaram um desempenho notável, pelo equilíbrio e sensibilidade. De uma maneira sem dúvida subjectiva, destaco sobretudo o "Orfeu" de Philippe Courbois, a sua quarta cantata para voz e violino. A música é de uma pureza sublime."

Danielle Anex-Cabanis in Utmisol - 02/2012

Cantatas interpretadas com nobreza

Gravações

"O barítono português Hugo Oliveira e o grupo de música de câmara barroca Ludovice Ensemble, de Lisboa, interpretam as suas cantatas com grande nobreza, e zelosos com o detalhe".

Marc Vignal in Musikzen - 23/02/2012

Programa delicioso e original, que o jovem grupo português reconstrói maravilhosamente

Gravações

Programa delicioso e original; este pequeno mundo codificado, galante e doméstico oculta um encantamento que o jovem grupo português - formado no Conservatório da Haia, e campeão do estilo interpretativo holandês - reconstrói maravilhosamente. A polpa, a doçura, a luz, enfim, o essencial, não deixam nada a desejar. O barítono Hugo Oliveira cuida do estilo e do alcance da sua voz; sensível, ele distingue o "triste despeito" do "tormento eterno", e não se poupa na sua identificação com o seu tema - o amor contrariado.

Ivan A. Alexandre in Diapason - 05/2012

A bela declaração do Ludovice Ensemble

Gravações

"Os músicos do Ludovice Ensemble e o barítono Hugo Oliveira transmitem uma visão deste repertório marcada pela grande integridade e por um excepcional requinte, que comprovam um trabalho de reflexão aprofundada sobre as obras e o seu contexto. O que é mais impressionante neste primeiro disco, generoso em todos os sentidos, é sem dúvida o alto nível da execução instrumental, que sabe aliar uma preparação extremamente rigorosa, com uma intuição muita acertada do repertório apresentado. Os músicos, todos eles dotados de uma indiscutível solidez técnica, percorrem fluidamente e com muita naturalidade as exigências destas obras, de um espírito muito francês, que eles restituem com a nobreza do tom, e a moderação de sentimentos idóneos, mas sem jamais se esquecerem de insuflar a animação e a teatralidade indispensáveis, evitando que as obras permaneçam no estado de gravuras finamente cinzeladas, mas fatalmente geladas.  Acompanhantes atentos da voz, à qual oferecem um enquadramento assaz transparente, para lhe permitir desabrochar, mas suficientemente denso e activo para lhe oferecer apoio e diálogo, as suas qualidades afirmam-se  sobretudo com mais evidência nas três obras de Dornel, executadas com uma vivacidade que não exclui a ternura, cheias de contrastes e de cores, e que nos dão vontade de ouvir mais. Um disco do qual sentimos claramente que cada participante, estimulado pela direcção de uma grande inteligência e de uma indiscutível sensibilidade de Fernando Miguel Jalôto, que ademais, dá provas de uma muito bela inventividade ao cravo, investiram tanto entusiasmo como coração, conseguindo transmitir ao ouvinte, sem dificuldade, a sua felicidade ao fazer reviver a teatralidade elegante destas jóias da música de câmara. Esta primeira gravação, corajoso e globalmente muito bem conseguido, designa o Ludovice Ensemble como um grupo a seguir desde já com grande interesse, e esperamos reencontrá-lo brevemente neste repertório, que lhe adequa perfeitamente, ou noutros, pois se afigura-se-nos que o seu espírito de investigação nos promete descobertas apaixonantes."

Jean-Christophe Pucek in Passée des Arts - 11/04/2012

Os amores franceses do Ludovice Ensemble

Gravações

"O Ludovice Ensemble tem feito um percurso de grande consistência, ilustrado por vários concertos de qualidade e alguns primeiros passos no plano internacional que este primeiro CD na etiqueta Ramée promete vir a reforçar. [...] Miguel Jalôto conduz um grupo de baixo contínuo que mostra grande coesão e afinidade estilística com este repertório e Joana Amorim partilha uma interpretação flexível e elegante, que faz realçar as influências da dança [...]  O trabalho de conjunto é excelente, mas o grande fio condutor do disco são as três Cantatas e como tal a voz de Hugo Oliveira, que coloca a sua versatilidade técnica, uma subtil arte de frasear e um incisivo sentido dramático ao serviço do conteúdo do texto e da musicalidade da própria língua [...]. Todo o programa proporciona uma audição gratificante, transmitindo uma ampla gama de emoções com refinamento, bom gosto e um conhecimento profundo dos códigos interpretativos do Barroco francês. O CD conta ainda com excelentes notas explicativas de Miguel Jalôto".

Cristina Fernandes in Público - 08/02/2012

Uma pérola de incalculável valor

Concertos

 "[...] O extraordinário soprano espanhol Raquel Andueza [...] elevou a sua leitura das obras a uma iluminada interpretação, suportada [...] por um depurado gosto de elegante articulação, e vibrato saudavelmente controlado. A inventividade de Miguel Jalôto manifestou-se com o maior rigor e delicadeza, ornamentação inteligente e invejável precisão do grupo [...]".

Diana Ferreira in Público - 14/11/2011

O Esplendor Perdido

Concertos

"O programa [...] distinguiu-se pela excelência do conteúdo, por uma concepção coerente, e por um encadeamento justificado. [...] O desempenho dos cantores e dos instrumentistas - entre os quais o organista Fernando Jalôto, que acumulou com a direcção musical - foi também muito bom".

Manuel Pedro Ferreira in Público - 14/12/2011

Johann Friedrich Ludwig [Ludovice]

palacio_nacional_de_mafra1853gravura

Contactos

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

R. Monte Grande, 43 | 4430/464 V. N. Gaia  Portugal

++ 351 96 729 60 30 | ++ 351 22 782 41 19